Cielo se une a Grupo Fleury para doar 5.200 testes de diagnóstico da COVID-19 para InCor e Casas André Luiz

Ação testa profissionais de saúde das instituições e pacientes atendidos pela ONG, onde já houve 300 infectados

A Cielo, empresa líder em pagamentos eletrônicos no Brasil e na América Latina, realiza, em parceria com o Grupo Fleury, 5.200 testes sorológicos e molecular de diagnóstico em profissionais de saúde e funcionários terceirizados do InCor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP) e profissionais e residentes da unidade de longa permanência das Casas André Luiz. Ambas as instituições não têm fins lucrativos. A iniciativa é mais uma frente da Cielo para ajudar no combate ao novo coronavírus.

No caso do Incor, os testes já estão concluídos e ajudaram o hospital a conhecer o número de funcionários que já tem anticorpos para o novo coronavírus. “O InCor tem hoje uma das experiências mais importantes do País e até mesmo em âmbito mundial no combate à COVID-19 dentro do contexto do tratamento cardiopulmonar”, diz o Dr. Roberto Kalil Filho, presidente do InCor. “O apoio do Grupo Fleury e da Cielo neste momento foi fundamental para que o hospital iniciasse o protocolo de monitoramento de seus profissionais do ponto de vista epidemiológico, garantindo maior segurança para os nossos funcionários e pacientes”, completa.

InCor e COVID-19

A atuação do InCor no enfrentamento da pandemia do SARS-CoV-2 tem sido de relevância para a saúde pública do País. É do InCor o primeiro serviço de TeleUTI Respiratória voltada para o tratamento da COVID-19 no Brasil, responsável por treinar e assessorar UTIs de hospitais públicos de São Paulo com pacientes em tratamento da doença. Em seu Laboratório de Imunologia, está em andamento projeto de pesquisa para a vacina contra a doença.

A equipe da UTI Respiratória do Instituto, por sua vez, foi transferida integralmente com seus aparelhos de última geração e equipe de médicos, enfermeiros e fisioterapeutas, para o Instituto Central do HC, unidade adaptada para atender exclusivamente pacientes graves e gravíssimos de COVID-19.

Segundo a Dra. Tânia Strabelli, infectologista e diretora da Unidade de Infecção Hospitalar do InCor, a sorologia para detecção de anticorpos para o SARS-CoV-2 nos profissionais do Instituto traz informações fundamentais para entender o reflexo da pandemia sobre os profissionais da saúde, de maneira a traçar estratégias de proteção aos funcionários e pacientes do Hospital.

A taxa de infecção dos profissionais do InCor, situada em torno de 22% da força de trabalho, acompanha o que tem acontecido em outros hospitais brasileiros e também no exterior, diz a infectologista do InCor. “Nosso programa de testagens periódicas dos nossos funcionários, que teve início por meio dessa doação, dará suporte contínuo aos nossos protocolos de proteção contra do contágio com potencial de desencadear a doença no ambiente hospitalar”, completa.

“Sabemos a importância de realizar testes principalmente nos profissionais de saúde, pois estes estão na linha de frente no combate à pandemia. Precisamos cuidar de quem cuida”, comenta Dra. Jeane Tsutsui, cardiologista e diretora executiva de Negócios do Grupo Fleury.

Atendimento nas Casas André Luiz

As Casas André Luiz realizam anualmente cerca de 200 mil atendimentos médicos e terapêuticos em todas as especialidades. A instituição cuida integralmente de mais de 550 pacientes, que residem em suas unidades, todos com deficiência intelectual. Mais de 70% deles estão na classificação de deficiência grave a profunda. ""Diante desse cenário, precisamos de ferramentas que nos ajudem a fazer o diagnóstico de infecção pelo SARS-CoV-2. São pacientes com grandes limitações em expressar seus sintomas, restando apenas sinais para que condutas possam ser tomadas com os pacientes. Outro ponto que chama a atenção é que, por sermos uma ILP (Instituição de Longa Permanência), somos sujeitos a uma maior disseminação do vírus, inclusive por termos estruturas físicas antigas, com quartos grandes, que abrigam até 10 pacientes, aumentando o contágio”, explica Roberta Pedroso, diretora clínica das Casas André Luiz.

Pelo menos 300 moradores das casas tiveram confirmação da COVID-19 e 7 deles não resistiram à doença e acabaram morrendo. As unidades também tiveram 80 funcionários doentes. “A Cielo se uniu ao Grupo Fleury e fez uma parceria com a instituição, oferecendo testes de diagnóstico pelo método RT-PCR para pacientes e colaboradores que apresentem sintomas de síndrome gripal. Com o resultado do exame saindo em até 48 horas, isso contribui para que o processo de isolamento dos pacientes seja mais dinâmico, reduzindo eventos adversos”, completa Roberta.

“No combate à pandemia e em um contexto em que ainda não há vacina e tratamento eficaz contra a COVID-19, sabemos a importância da realização de testes. Essa é a nossa principal arma para vencer a pandemia”, comenta Dra. Jeane.

“A Cielo se une ao Grupo Fleury, reconhecido por sua excelência em diagnósticos e prevenção, para contribuir com a segurança dos profissionais de saúde e dos atendidos por eles na retomada dos procedimentos dessas instituições, que prestam serviços tão fundamentais para nossa sociedade. De um lado, o InCor, que é referência no tratamento da COVID-19. De outro, a unidade com mais de 500 residentes das Casas André Luiz, onde pessoas com deficiência intelectual são atendidas integralmente”, diz Paulo Caffarelli, presidente da Cielo.